DSpace Repository

The discourses about the drugs and the experiential languages of the consumers in the city of Rio de Janeiro: notes on continuity and discontinuity in drugs use

Show simple item record

dc.contributor en-US
dc.contributor es-ES
dc.contributor pt-BR
dc.creator Mendonça Filho, Frederico Policarpo de; Núcleo Fluminense de Estudos e Pesquisas e do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (Nufep/InEAC/UFF)
dc.date.accessioned 2016-10-04T22:29:32Z
dc.date.available 2016-10-04T22:29:32Z
dc.date.issued 2010-07-01
dc.identifier http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/2733
dc.identifier.uri http://repositorio.filo.uba.ar/handle/filodigital/2573
dc.description It is very common to talk about drug use with the reference to Psychology or Law to tackle the issues surrounding the consumption and trade of drugs. For that reason, categories such as “addict”; ”user”; and “dealer”; are often used in a naturalized way, without any reference both to the context in which they were drawn as to the context of action that account. Thus, they appear as if they were absolute analytical categories.In this paper I present data from some relational contexts of drug users who had access, in an attempt to present the experiential language deployed by them to participate in the drug market. From this description, I´ll show situations where some consumers put questions about their personal consumption, creating the possibility of reconfiguration their participation on the drug market influencing the continuation or not of drug use. en-US
dc.description É muito comum, ao se falar do uso de drogas, a referência à Psicologia ou ao Direito para dar conta dos aspectos que cercam o consumo e o comércio de drogas. Surgem daí categorias como “dependente químico”, “usuário” e “traficante” que muitas vezes são utilizadas de forma naturalizada, sem qualquer referência tanto ao contexto em que foram elaboradas como ao contexto da ação que pretendem explicar. Dessa forma, elas surgem como se fossem categorias analíticas absolutas, existindo a priori de qualquer relação social. Neste trabalho, exponho dados de alguns contextos relacionais de consumidores de drogas aos que tive acesso, na tentativa de apresentar os idiomas experienciais mobilizados por eles para participarem do mercado de drogas. A partir dessa descrição, mostrarei situações em que alguns deles colocam em questão o próprio consumo, criando-se a possibilidade de reconfiguração da participação no mercado de drogas, influenciando a continuação, ou não, do consumo de drogas. es-ES
dc.description É muito comum, ao se falar do uso de drogas, a referência à Psicologia ou ao Direito para dar conta dos aspectos que cercam o consumo e o comércio de drogas. Surgem daí categorias como “dependente químico”, “usuário” e “traficante” que muitas vezes são utilizadas de forma naturalizada, sem qualquer referência tanto ao contexto em que foram elaboradas como ao contexto da ação que pretendem explicar. Dessa forma, elas surgem como se fossem categorias analíticas absolutas, existindo a priori de qualquer relação social. Neste trabalho, exponho dados de alguns contextos relacionais de consumidores de drogas aos que tive acesso, na tentativa de apresentar os idiomas experienciais mobilizados por eles para participarem do mercado de drogas. A partir dessa descrição, mostrarei situações em que alguns deles colocam em questão o próprio consumo, criando-se a possibilidade de reconfiguração da participação no mercado de drogas, influenciando a continuação, ou não, do consumo de drogas. pt-BR
dc.description.abstract Para acceder al Artículo utilice el link: http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/2733 es_AR
dc.format application/pdf
dc.language.iso por
dc.publisher Cuadernos de antropología social es_AR
dc.relation http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/2733/2369
dc.rights https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
dc.rights info:eu-repo/semantics/openAccess
dc.source 1850-275x
dc.source 0327-3776
dc.source Cuadernos de antropología social; núm. 31 (2010): 25 aniversario de la creación de la Sección de Antropología Social; 145-168 es-ES
dc.subject Drug users en-US
dc.subject Drug market en-US
dc.subject Experiential languages en-US
dc.subject Relational context en-US
dc.subject Transmission of knowledge en-US
dc.subject onsumidores de drogas es_AR
dc.subject Mercado de drogas es_AR
dc.subject Idiomas experienciais es_AR
dc.subject Contexto relacional es_AR
dc.subject Transmissão do conhecimento es_AR
dc.subject Consumidores de drogas pt-BR
dc.subject Mercado de drogas pt-BR
dc.subject Idiomas experienciais pt-BR
dc.subject Contexto relacional pt-BR
dc.subject Transmissão do conhecimento pt-BR
dc.title The discourses about the drugs and the experiential languages of the consumers in the city of Rio de Janeiro: notes on continuity and discontinuity in drugs use en-US
dc.title Os discursos acerca das drogas e os idiomas experienciais de consumidores na cidade do Rio de Janeiro: apontamentos sobre a continuidade e descontinuidade no consumo de drogas es_AR
dc.title Os discursos acerca das drogas e os idiomas experienciais de consumidores na cidade do Rio de Janeiro: apontamentos sobre a continuidade e descontinuidade no consumo de drogas pt-BR
dc.type info:eu-repo/semantics/publishedVersion
dc.type info:ar-repo/semantics/artículo
dc.type info:eu-repo/semantics/article


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account